Que Miyavi adora o Brasil todos já sabem, até porque essa é a terceira vez que o cantor vem ao país. Mas certamente ninguém esperava que ele fosse tão adorado aqui ao ponto de tantos de seus fãs irem ao SWU para lhe ver.

SWU: 1,7 milhão de metros quadrados, um total de 179 mil pessoas nos três dias, 70 mil pessoas no terceiro dia. E por fim, muitas delas foram conquistadas por um músico japonês um tanto desconhecido que tocou no palco New Stage na noite de segunda-feira.

A chuva torrencial, a distância da cidade de Paulínia onde o festival ocorreu, e o lamaçal formado no lugar não foram obstáculos para os fãs que queriam ver seu ídolo a todo custo. Uma das vantagens também foi a ausência de pista VIP nesse ano, que permitiu ao público que foi para ver Miyavi ficasse o mais próximo possível do artista.

Desde cedo os fãs se juntaram nos arredores do palco New Stage, já esperando guardar suas posições para mais tarde, dividindo o local com pessoas que queria ver outras bandas que tocariam ali.

Enquanto esperávamos o show começar, foi inesperado ver a quantidade de gente que estava ali, esperando o guitarrista japonês se apresentar. Os fãs entoavam gritos com o nome de Miyavi, enquanto uma atmosfera de ansiedade pairava no local.
Então, quando o telão do palco anunciou o nome do cantor os gritos foram ensurdecedores.

Os staffs entraram para mudar os instrumentos enquanto os fãs discutiam quais músicas pediriam na seção de requests.

Então, ao som de seu nome sendo chamado por centenas de fãs, Miyavi adentrou o enorme palco juntamente com o baterista Bobo, vestindo uma camiseta preta de caveira, sobreposta por um terno preto, uma calça curta florida e os costumeiros sapatos sem meia. Ele também exibia óculos escuros para esconder o rosto sem maquiagem.

Logo que o cantor entrou, as luzes do palco se apagaram e enquanto ele já fazia uma rápida passagem de som e os fãs gritavam em animação, elas demoraram a se acender.
Foi só quando os primeiros acordes sérios foram tocados que as luzes começaram a piscar em amarelo, lentamente se acendendo. ‘Então, vocês estão prontos?!’, ele perguntou em inglês antes de começar, arrancando ainda mais gritos.

Os primeiros acordes foram tocados e então Miyavi anunciou ‘Ei, Brasil, What’s my Name?!’.

Os fãs do cantor já estão acostumados com o estilo de música diferenciado, porém, as pessoas curiosas que estavam por ali, foram instantaneamente contagiadas pela animação e pelo modo incrível de tocar a guitarra.
Todos tentavam tirar fotos ou filmar, e algumas pessoas erguiam camisetas, presentes, e como sempre, uma bandeira do Brasil.

Apesar do rap rápido que inicia a música, os fãs conseguiam acompanhar habilmente as letras, pulando de mãos erguidas em êxtase.
Miyavi mudava de microfone para cantar, indo de um lado ao outro do palco, parando para dar chutes no ar, ou gritar como Michael Jackson.

A qualidade do som não era das melhores e podia-se ouvir mais o instrumental do que a voz, mas isso não impediu a platéia de curtir ao máximo.

Ele terminou a primeira música fazendo graças e firulas com os acordes, e conquistando ainda mais o público no local e também quem o assistia ao vivo pela internet.
Os fãs novamente entoaram gritos com seu nome e o cantor então iniciou uma batalha de batidas com Bobo, fazendo a platéia gritar ainda mais. ‘Estão prontos, seus filhos da mãe?’, perguntou, chamando a todos para que gritassem. Foi então que começou a tocar ‘Survive’, levando os fãs que já o conheciam a loucura e fazendo-os pular ao ritmo das batidas do baterista supostamente brasileiro.

Em algum momento no meio da música houve uma pausa onde ele perguntou “Brasiiil, perguntei se vocês estão prontos!”. “Yeah!”, foi a resposta do público. “Esse é… o estilo japonês”. E voltou a tocar.

Miyavi se despiu do terno e tirou também os óculos. Se aproximou do microfone e em português disse: “oi, Brasil, tudo bem?”. Os fãs gritaram e ao mesmo tempo riram ao ver um papelzinho com ‘cola’ na mão do guitarrista. “Eu sou Miyavi, guitarrista de Tokyo. Queria ver vocês há muito tempo”, ele continuou.

Em seguida veio uma de suas mais novas músicas, ‘Hell No’, que apenas alguns poucos fãs conheciam ou sabiam de cor. Mas sabendo disso, ele ensinou “Eu digo ‘no, no, no’ e vocês dizem ‘no, no, no’ certo, pessoal?!”, e assim puxou os gritos da platéia. O solo dessa música teve direito até a um bate-cabeça meio desengonçado, mas que só deixou tudo mais divertido. (E apesar de não dar pra ouvir no vídeo, os fãs realmente estavam respondendo aos ‘no, no, no!’ a plenos pulmões’)

Ao fim dessa música, não apenas Miyavi, mas todos na platéia suavam, até aqueles que estavam ali apenas esperando pelas bandas seguintes. Era inevitável que pulassem junto com os fãs do cantor.

“Estão se divertindo?”. “Sim!”. “Estão se divertindo, pessoal?!”. “Siiim!”
Assim, Miyavi apresentou o baterista Bobo, que com seus pés descalços iniciou um ritmo lento em seu instrumento, enquanto o vocalista terminava de falar com a platéia. “Meu nome é Miyavi de Tokyo… from Tokyo to Rock you!” (de Tokyo para arrasar com vocês!). “Uma guitarra e uma bateria no palco é o suficiente para fazer um show!”

E puxando os fãs para que batessem palmas, Miyavi começou a cantar baixinho ‘Music Free’. Foi durante essa música que entre as pessoas curiosas Miyavi conquistou mais fãs, fazendo solos de guitarra, deitando-se no chão e fazendo o passo de dança mais famoso de Michael Jackson, o moonwalk.

Music Free foi seguida por uma das músicas que mais anima o público, talvez porque tenha mais interação com o mesmo, ‘BOOM HAH BOOM HAH HAH’.
“Coloquem as mãos pra cima, deixem-me ver suas mãos”, ele começou, logo puxando o ritmo da música. O fato do público estar inicialmente no ritmo errado fez o cantor rir. Somente quando Bobo ditou a batida que conseguiram se acertar.

Os fãs pulavam e dançavam alegremente e cada vez mais pessoas se juntavam para ver o show. E até Bobo exibia um sorriso.
Mais uma vez Miyavi mostrou que sabe o que faz, fazendo ótimos solos e mais dancinhas desengonçadas, enquanto tocava com a guitarra atrás da cabeça, arrancando exclamações de surpresa das pessoas que nunca o haviam visto tocar.

Na setlist oficial que havia saído no Multishow antes mesmo da apresentação começar, as duas músicas seguintes constavam como ‘request’. E claro, os fãs muito bem informados, já sabiam disso e logo começaram a gritar por ‘Selfish Love’. Miyavi então trocou sua guitarra por um violão elétrico e fez mais um MC.

Miyavi: Estão se divertindo? (fãs gritaram que sim e ele riu) Vocês sabem, nós somos de Tokyo. Fizemos a turnê norte-americana e depois fomos a Venezuela, Peru, Chile, e esta noite no Brasil.
Fãs: *gritam*
Miyavi: Amanhã nós faremos um show na Argentina e depois disso Colombia, México…
Fãs: *vaiam a Argentina*
Miyavi: wow, wow, wow *dá risada*
Fãs: Brasil! Brasil! Brasil!
Miyavi: Eu sei! Eu sei! Vocês são incríveis, não é?!
Fãs: éééé!!!
Miyavi: Vocês gostam do estilo japonês?
Fãs: Siiim!

E com esse momento engraçado Miyavi começou a tocar os acordes da música seguinte, que a pedido de todos foi ‘Selfish Love’. Os fãs cantaram a letra perfeita e animadamente. Mas infelizmente foi apenas um pedacinho da música.

Em seguida, os fãs não puderam deixar de pedir a música mais emocionante para todos, com a qual fizeram uma homenagem ao cantor na primeira vez que este veio ao Brasil. Foi em uníssono que eles começaram a gritar por “We Love you”, que logo foi atendido por Miyavi.
‘We Love you, coloquem suas mãos pra cima assim”, ele disse e imediatamente os fãs começaram a balançar as mãos de um lado para outro, formando um mar de sentimentos, ondulante. Mesmo quem não era fã do cantor não pôde evitar de levantar os braços e compartilhar o momento que desde o começo teve uma atmosfera toda especial, algo que deu pra ver na expressão do guitarrista quando os gritos pela canção começaram.

Entre as frases os fãs cantaram ‘Uuh~ uuh~’, tirando risos de Miyavi.

Foi um momento tão especial que muitos não puderam conter as lágrimas ao cantar “Nós te amamos, nós te amamos. E o mundo todo te ama.”

Essa provavelmente foi a música que mais arrancou gritos da platéia quando terminou. “Obrigado”.

Para mudar totalmente o clima, Miyavi emendou com uma pequena interação com Bobo, onde o apresentou novamente, e repetindo a mesma piadinha do baterista ser brasileiro, fazendo o outro rir.

Foi então a vez de Bobo fazer um pequeno solo, e quando este terminou e o público começou a chamar seu nome, ele se animou e começou a tocar a bateria como se fosse um samurai, segurando as duas baquetas juntas com as duas mãos, como se fossem sua espada.

Juntamente com Miyavi, que já havia trocado o violão por sua guitarra, ele recomeçou a tocar, mas logo o guitarrista começou seu próprio solo, arrancando gritos entusiasmados do público e fazendo uma brincadeira com sua pequenina mesa de som e os fãs presentes, chamando-os para gritar ao apontar para cada lado.

Logo veio a próxima da setlist: Subarashii Kana kono Sekai ~what a wonderful world~, com certeza uma das canções mais famosas de Miyavi. Os fãs cantaram habilmente e pularam tanto quanto.

Esta foi seguida por mais uma das novas músicas do cantor, ‘A-Head’. Logo no inicio Miyavi arrancou gritos de suas fãs ao tirar a camisa e exibir suas tatuagens novas e antigas, além de fazer mais de suas danças loucas, saltando com um pé e depois o outro.

A música toda foi levada por muitos efeitos da mesa pequena mesa de som do cantor que continuamente pedia para que os fãs pulassem, mesmo que eles não conhecessem tão bem A-Head.

Em certo ponto da música o guitarrista adicionou ainda mais efeito, e juntamente com as batidas rápidas de Bobo, fez parecer uma pequena ‘balada’, ao som dos gritos do cantor.

Miyavi não se cansava de jogar os cabelos que, ao fim da música, estavam completamente encharcados e colados no rosto do cantor.

Apesar da chuva que caíra anteriormente, os fãs nesse momento estavam molhados de suor, de tanto pular, mas Miyavi obviamente não ia deixar terminar assim tão facilmente. Então, depois de banhar com uma garrafa de água para refrescar o próprio calor, lançou efeitos ritmados com sua pedaleira.

“Certo, todos no Brasil, coloquem suas mãos pra cima, assim. Eu digo que somos de Tokyo, e amamos vocês do Brasil, não importa onde vocês estão, nós seremos um! Nós podemos nos unir pela música, certo, pessoal?!”

“Brasil!”

E assim anunciou ‘Futuristic Love’, pedindo que todos levantassem suas mãos fazendo o sinal de ‘1’.

“Raças, sexo, nação, geração, língua, cultura, religião, … somos um.”

E repetiu a última frase ao ritmo de sua guitarra, com sua própria mão erguida formado o número 1.

Os fãs pulavam com as batidas ritmadas, apesar da música ter sido um tanto inesperada na setlist. E o ciclo entre letras, solos, efeitos e batidas continuou por cerca de 8 minutos, nos quais os fãs incansáveis não paravam de pular. Miyavi jogava os cabelos, tocava, pulava, gritava e se mostrava para as câmeras do Multishow, tão animado quanto o público, que usava de todas as suas forças para continuar acompanhando o cantor.

E sem ao menos dar tempo para que o público descansasse e exibindo um enorme sorriso, o guitarrista emendou com ‘Are you ready to Rock?’, animando ainda mais os fãs presentes, se é que isso era possível.

“Are you ready to rock?”, ele perguntava, e a platéia respondia com a mesma frase, todos com punhos erguidos e pulando.

“Are you ready?!”. E com a resposta vinda dos fãs, Miyavi fez o último solo, enquanto as luzes do palco piscavam em branco, e ele tocava os últimos acordes.

Para terminar, o cantor jogou água no público, típico de shows japoneses.

Os fãs gritaram e aplaudiram, sentindo todas as suas forças se esvaírem depois de um show tão animado e ‘quente’.

Miyavi e Bobo agradeceram o público uma última vez e por fim deixaram o palco, deixando a quem havia assistindo com um gostinho de ‘quero mais’.

“Obrigado, Brasil. Amo vocês”, ele disse em português.

Certamente esse foi o melhor dos shows do cantor por aqui, que e também fez com que ganhasse ainda mais repercussão e fãs entre os adoradores de música que estavam presentes.

Definitivamente, um dos melhores shows do festival.

Setlist:

What’s My Name?
Survive
Hell No
-MC-
Music Free
BOOM HAH BOOM HAH HAH
Request – Selfish Love
Request – We love You
Subarashii kana kono Sekai ~What a wonderful world~
A-Head
Futuristic Love / Are you ready to rock?

Por Mariana Lambert

Deixe um comentário