[JRBR] Matéria sobre J-Rock

Sobre J-Rock Brasil  Deixe um Comentário

No começo do mês ajudamos numa matéria sobre J-Rock para o Diário do Grande ABC. Confiram a matéria na íntegra AQUI.

Para fazer essa matéria, nossa integrante Mariana Lambert respondeu a uma pequena entrevista sobre o tema, que achamos interessante compartilhar com vocês!
A jornalista é a Carolina Ropero. Vejam a seguir:

– O que é o J-Rock?
R: O J-Rock é um estilo musical japonês, como o ‘J’ no nome indica. É uma abreviação do termo japanese rock, um nicho musical que abriga vários gêneros e um dos estilos de rock alternativo que mais se destaca no mundo atualmente.

– Como ele surgiu?
R: Após a 2ª Guerra Mundial, o Japão, que até então quase não teve contato com outras culturas, passou a ser inundado pelos costumes ocidentais, inclusive na música. Por muito tempo, enquanto a economia japonesa se reestabelecia, a nação perdeu muito de sua identidade, levando ao desenvolvimento da cultura pop. Alguns acreditam que o Japão moderno passou por uma fase de falta de personalidade por absorver tudo que as culturas ocidentais traziam consigo. Assim, o entretenimento característico do país encontrou poucas formas de levar sua própria cultura adiante.
Sendo o Japão um país onde as tradições são levadas tão a sério, e onde a educação é tão rígida, o maior desejo dos jovens de se diferenciarem dos demais acabou sendo mais evidente do que em outros lugares do mundo, afinal, a identidade para os japoneses está diretamente ligada ao vestuário.
Até que, na década de 80, elementos dessa nova cultura foram se popularizando no ocidente, através dos mangas e animes. Pouco depois, a questão das tribos urbanas e a moda destas também se tornaram conhecidas pelo mundo e, por fim, foi a vez da música.

– Quem curte J-Rock tem um estilo de roupa específico?
A maioria gosta de se vestir como suas bandas favoritas. Não necessariamente um cosplay, mas o estilo parecido. Uma banda mais pesada tem fãs que se vestem com spikes, muito preto, maquiagem pesada, enquanto fãs de Oshare Kei se vestem com roupas coloridas, fivelas de bichinhos etc. Mas isso não é uma regra. Muitos não ligam muito pra isso, tendo a própria música como ponto mais importante.

– Por que a música japonesa chama a atenção de tantos brasileiros?
Provavelmente pelo mesmo motivo que faz tanto sucesso entre os jovens japoneses: um forma de expressar a vontade de se libertar da sociedade. Hoje em dia podemos achar que não, mas muitos ainda sofrem preconceitos, ou passam por outros momentos difíceis, onde o único apoio emocional vem da música. Muitos só conseguem fazer amigos ou se sentir parte de algum grupo quando encontra outros fãs. Não há diferença entre o J-Rock e os outros estilos musicais no que se refere a como a música se encaixa num momento da vida daquela pessoa. Você pode gostar de uma música sertaneja, porque te lembra como perdeu um amor e como você gostaria de arrasar na balada. Ou como aquelas músicas de fossa que as mulheres sempre ouvem quando estão deprimidas. É tudo uma questão de ouvir a música certa, no momento certo.
Mas esse sucesso do J-Rock não é grande apenas no Brasil. Em todas as partes do mundo pessoas se rendem ao estilo irreverente dessas bandas, algo que foge do ‘normal’ que estamos acostumados.

– Sobre o que falam as composições?
R: Isso muda de acordo com a banda, sendo que algumas variam inteiramente de uma música para outra. As letras podem falar de amor, de perdas, podem fazer críticas à sociedade ou contar histórias. Podem simplesmente ser um jogo de palavras e às vezes até conter uma oração. Mas o importante é que elas se conectem com o público, como dito anteriormente.

– Quais instrumentos são usados geralmente?
R: Normalmente as bandas são formadas por um ou dois guitarristas, um baixista, um baterista e um vocalista. Mas algumas acrescentam outros elementos, como teclado ou violino.

– Você sabe dizer quais foram as primeiras bandas de J-Rock?
R: A primeira banda de J-Rock que se tem registro no Japão apareceu na década de 60, mas o movimento só se tornou mais distinto na década de 80, quando seus artistas chegaram a alcançar o mesmo nível de popularidade e sucesso dos artistas pop.
Alguns acreditam que a banda que iniciou o movimento nessa época foi a Boowy (https://www.youtube.com/watch?v=MOwzWGNgVu0), que possuía influências do rock ocidental, porém com uma batida inovadora. Mas a banda encerrou a carreira ainda no fim dos anos 80, dando lugar a novas bandas como X Japan e Buck-Tick, que revolucionaram o cenário musical japonês.
A história completa do J-Rock pode ser encontrada AQUI!

– Qual é a diferença do J-Rock para o Rock and Roll americanizado?
R: A diferença é que os J-Rockers prezam muito a aparência. Ela faz parte do conjunto de sensações para alcançar melhor o público. No clipe de uma música feliz, você poderia usar roupas mais coloridas, cores mais claras, enquanto no de uma música triste, dos pés a cabeça, tudo seria diferente, até a maquiagem… porque eles usam muita!

No rock americano, o máximo que se preocupam com aparências é na hora de criar a estampa da camiseta daquela turnê.
Claro que as bandas japas também se preocupam com isso, mas também vão muito além, com álbuns de fotos, fotos promocionais, capas de CD em 3D, e até o cenário e iluminação específicos para cada música na hora de um show, tudo parte da procura pelo momento perfeito para os fãs e músicos desfrutarem juntos.”

E aí? Gostaram? O que vocês pensam sobre o assunto? O que o J-Rock significa pra vocês?
Deixem aqui nos comentários!

Deixe um comentário