O J-Rock começou a atrair fãs ocidentais a partir do final da década de 90 e início de 2000, quando a divulgação das bandas começou a ser feita através da internet, pessoalmente, ou através de trilhas sonoras de animes.

Ainda no inicio dos anos 2000, o cenário no ocidente tornou-se propício para que bandas e gravadoras investissem nele oficialmente. Na Alemanha, por exemplo, foram criados três selos exclusivamente para bandas japonesas de rock, a Gan-Shin Records, a Okami Records e a CLJ Records e, apesar de serem alemães, os selos distribuem e promovem shows em toda a Europa.

Um dos primeiros shows de Visual Kei realizado no Ocidente de que se tem notícia ocorreu com a banda DuelJewel na cidade de Houston, Texas, Estados Unidos, em 2002. A apresentação foi uma das atrações do evento A-kon, uma ação que visava atrair, a princípio, interessados pela cultura pop japonesa em geral.

Apesar de os Estados Unidos terem o mercado J-Rock menos aquecido que o da Europa, muitos eventos interessantes tem ocorrido, como o JRockRevolution em 2007, o primeiro festival com vários artistas na América do Norte dedicado exclusivamente a J-Rock. O evento foi promovido pelo líder da banda X-Japan, Yoshiki, e nele bandas como Alice Nine, Kagrra,, Vidoll, Duel Jewel, D’espair Ray, Miyavi, Merry, MUCC e Girugamesh tocaram para uma multidão ansiosa de fãs que há anos esperavam por um evento desse porte.

No Brasil

Novamente graças à internet, o J-Rock tem ganhado cada vez mais fãs também por aqui. Em todos os eventos de cultura nipônica podemos ouvir bandas brasileiras que se inspiraram ou fazem covers das bandas japonesas. No orkut, as comunidades relacionadas às bandas já possuem milhares de fãs e crescem mais a cada dia.

Ao contrário do que muitos pensam, o Charlotte não foi a primeira banda japonesa a passar pelo Brasil. Outras três bandas nipônicas já haviam pisado em território nacional anteriormente. A primeira delas foi o Guitar Wolf, que se apresentou na primeira e única edição do Yeah! Fest, um festival de música independente realizado em Campo Grande-MS no ano de 2001. Em 2004, outra banda punk japonesa se apresentou no país: o Vivisick, com uma turnê brasileira juntamente com o Mukeka Di Rato (ES) e o Hellnation (USA).

Já em 2007, foi à vez do Robin (banda japonesa de psycho-punkabilly) passar pelo Brasil, marcando presença em pleno Carnaval no festival Psycho Carnival, em Curitiba, conquistando o público com sua apresentação e garantindo novos shows para a banda no Paraná e em São Paulo.

Em novembro de 2007, com um show em São Paulo e outro no Rio de Janeiro, veio o Charlotte, banda que iniciou o auge dos shows de J-Rock no Brasil. Segundo números divulgados posteriormente, 1100 pessoas compareceram no primeiro show e 600 no segundo. Pode parecer pouco para quem está acostumado com bandas que lotam estádios, mas na época, o Charlotte era uma banda desconhecida para os fãs brasileiros e muitos foram aos shows apenas para prestigiar o que se acreditava ser o ‘primeiro’ show de J-Rock no país. Feliz com a primeira visita ao exterior, o Charlotte ainda gravou um DVD em terras brasileiras, mostrando a grande diferença entre as culturas. O DVD foi feito em duas versões, uma com os acontecimentos na cidade de São Paulo e outro com os do Rio de Janeiro, ambos contendo duas partes diferentes de uma pequena historinha atuada pela própria banda.

Em maio de 2008, pela primeira vez uma atração famosa passou por aqui: o cantor Miyavi. Inicialmente, haveria uma única apresentação, porém os ingressos se esgotaram em apenas dois dias e assim, as empresas organizadoras Yamato e JaME conversaram com o cantor para que fosse realizada uma segunda apresentação. O evento que ocorreu em meio às comemorações do centenário da imigração japonesa foi coberto por grandes veículos da mídia nacional como Globo, Record, MTV Brasil e o jornal O Estado de São Paulo.

Ainda em 2008, Yamato e JaME terminaram sua parceria e passaram a trazer as bandas separadamente. Em novembro, a Yamato trouxe o vocalista da banda X-Japan, Toshi, com sua nova banda, TOSHI with T-Earth (metade da banda formada pelos integrantes do Charlotte). E em dezembro, para a alegria dos fãs, a Yamato anunciou parceria com uma das grandes gravadoras japonesas, a PS Company, e a JaME trouxe a dupla Monoral para uma turnê que passou por vários pontos do país, após diversas reclamações por parte dos fãs de fora do eixo Rio-São Paulo. Em São Paulo, o show ocorreu na boate Inferno, na rua Augusta, o que deu um ar diferente ao evento.

Começando o ano de 2009 com o pé direito, logo em janeiro a JaME trouxe a famosa banda LM.C, que apesar de alguns problemas (como goteiras na casa de shows), se emocionou com um show em um país tão distante. Foi uma apresentação única em São Paulo, parte de sua turnê mundial, que resultou em DVD Documentário que mostrava o vocalista Maya chorando ao fim do show. Em abril do mesmo ano, tivemos o An Cafe, trazido pela empresa Time4Fun, a mesma que trouxe Madonna. O show juntou muitos fãs no CitiBank Hall, e ainda na fila muitos se emocionavam apenas por ouvir a passagem de som. Mais uma vez o show foi coberto pela MTV e após entrevistas para diversas mídias, o An Cafe fez um show que emocionou a todos, tanto os fãs, como os membros.

Em meados de maio, a pequena empresa J-Shock trouxe o vocalista da banda Gram∞Maria, Shi-no, para uma pequena turnê pelo país. Alguns shows foram cancelados, mas o cantor ainda aproveitou ao máximo sua estadia no Brasil, e sempre tratou os fãs com muito carinho.

Já em julho, a banda Kagrra, que na época era parte da gravadora PS Company, veio ao país para se apresentar no maior evento de cultura japonesa da América Latina, o AnimeFriends. Considerado um dos shows mais emocionantes, a banda conquistou até mesmo o público que não os conhecia e estava no local apenas para participar do evento. Neste dia, os integrantes da banda passearam pelo local disfarçados de Staffs, causando furor entre os fãs. Foi a primeira vez que uma banda vinda ao país fez uma seção de autógrafos, mais conhecida como Meet&Greet.

Em setembro foi a vez da dupla de J-Rock Gótico Industrial GPKISM vir ao Brasil, como parte de sua turnê Latino-americana. A banda fez dois shows por aqui, um em um pequeno evento de anime em Osasco, e outro em Fortaleza. Também houve alguns problemas, mas a dupla deixou uma ótima impressão nos fãs, vendendo muitos CDs e autografando-os para os fãs.

Ainda em 2009, em outubro, o cantor Miyavi deu as caras mais uma vez em terras tupiniquins, com um show em São Paulo, promovido pela Time4Fun. Novamente lotando a casa de show, o cantor emocionou os fãs com mais uma apresentação impecável.

E para terminar o ano com chave de ouro, foi a vez de uma das bandas mais inesperadas passarem por nosso país: Dir en Grey. A banda se apresentou no evento de música conhecido como Maquinaria, que ocorreu na Chácara do Jockey. Apesar de poucas músicas, o som agitou tanto os fãs da banda quanto os que não os conheciam, o que se tornou uma experiência única.

Em 2010 tivemos poucos shows no Brasil. Para começar, a banda Head Phones President se apresentou num pequeno evento de anime em São Paulo em abril. E apesar do local ser pequeno, estava lotado de fãs da poderosa voz de Anza, a vocalista, ex-cantora de músicas de anime. Depois de um show performático por parte da vocalista, os integrantes se surpreenderam ao ver que as pessoas presentes sabiam cantar suas músicas e saíram muito felizes do país.
Em junho foi a vez da tão esperada banda Versailles com seu estilo “aristocrático”. Mais uma vez tivemos um show cheio, principalmente após o falecimento de Jasmine You logo antes de virem ao país. Os integrantes estavam bastante animados no show, deixando os fãs ainda mais empolgados, o que resultou num show incrível.
Já em julho veio a dupla Aural Vampire, que também se apresentou no Anime Friends. Os fãs da vampírica Exo-Chika foram ao delírio com a simpatia e graça da vocalista. Os integrantes também não esperavam a quantidade de fãs que foram vê-los no evento, e que ainda soubessem cantar as músicas.

2011 também foi um ano repleto de shows. Em julho, no AnimeFriends tivemos dois shows de uma vez. Foram eles: Kaya e M.O.V.E., sendo que ambos foram muito esperados pelos fãs que já os conheciam. Kaya participou de uma seção de Meet & Greet, enquanto o m.o.v.e. Autografou os pôsters comprados após o show.
Em setembro foi a vez do X-JAPAN passar por essas terras pela primeira vez. O show foi um sucesso total em quantidade de público, e apesar do grande atraso devido ao perfeccionismo dos integrantes, o show compensou toda a espera dos fãs que foram ao delírio ao som das músicas tão conhecidas e ainda prepararam surpresas aos próprios integrantes.
Nos últimos meses do ano, os fãs de J-Rock puderam contar ainda com mais 3 shows para matar a saudade. Foram eles: Versailles, Miyavi e Dir en Grey, sendo que o guitarrista MYV se apresentou no festival SWU, no interior de São Paulo, o que não impediu que diversos fãs viajassem de caravana apenas para prestigiá-lo.

O ano de 2012 também foi um ano de retorno de bandas que já haviam passado pela terrinha tupiniquim. LM.C, Kaya e An Cafe foram os nomes do ano. E de novidade tivemos a banda D, que maravilhou o público numa apresentação do Espaço Victory, que se consolidou como um dos locais mais escolhidos para os shows de J-Rock.

Já em 2013, o ano teve poucos shows, mas que vieram com força total. O principal show foi da famosíssima banda the GazettE, que era esperada há muitos anos. A banda conseguiu repercussão tão grande, que juntou muitos fãs desesperados no aeroporto onde chegaram e também dias antes na fila em frente ao Espaço Victory. Como era de se esperar, este foi um dos shows que contou com maior público, dentre os que já tivemos no Brasil. Ainda em 2013, fizeram shows do Ressaca Friends o cantor Kaya e banda FLOW, conhecida por suas várias canções trilha sonora de animes.

2014 foi um ano recheado de atrações para quem é fã do rock japonês, contando com 7 shows de 6 diferentes bandas, a maioria delas em eventos de cultura pop japa. Em julho, no Anime Friends tocaram Back-On, FLOW (que não aguentou esperar passar um ano para voltar ao país) e a cartinha marcada, An Cafe. Em novembro tivemos show da banda ONE OK ROCK, que tiveram até pedido de casamento durante o show, o qual a banda ajudou fazendo os pombinhos subirem ao palco e tocando uma balada para eles, fazendo alguns fãs irem às lágrimas. E no último mês do ano, a banda DEATHGAZE fez dois shows que arrasaram com a platéia, em SP e no RS, e no Ressaca Friends, o trio Home Made Kazoku sacudiu a Universidade Cruzeiro do Sul com seus sucessos.

Texto por Mariana Lambert

Deixe um comentário